quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006

Chatice, nóia e stress em último grau

Fiquei um tempão procurando um texto pronto pra postar hoje. Sem trabalho. Olhei, olhei, mas não achei nada que combinasse com o meu humor hoje. E olha que existem muitos blogs legais, cada dia me surpreendo com um deles.
Mas hoje eu não tô legal. Detesto escrever posts meio maníaco-depressivos, mas é difícil fazer palhaçada ou enfeitar o bode quando me sinto assim.
Hoje eu tô triste, mas triste não é bem a palavra. Eu tô estranha...A vida prega peças e, de vez em quando, eu quero parar o mundo e descer. Voltar pra barriga da minha mãe. Virar cachorro de madame.
Tava tudo tão bom e tranquilo...
De repente, a gente faz a curva e nossos planos vão pra casa do caralho...Um emprego que você até gostava e não reclamava do salário?? Já era! Marido feliz com o próprio emprego? Também não existe mais...Viagem pra praia no Carnaval? miou...Filhos ano que vem? Não sei mais se será possível...Por que que uma merda nunca vem sozinha?
Não sei porque insisto em fazer planos, já que a vida vive me passando a perna...

Mas tô aqui, firme e forte, quem me olha não imagina nem 1% do que se passa nessa cabecita...
Sei que não são motivos irreversíveis, não tô doente, não tô passando fome, mas detesto essas cachoalhadas que a gente toma da vida. Sei que tudo vem pro nosso bem, pro nosso crescimento, blábláblá...Mas hoje eu não quero ser razoável, quero chutar a porta, mandar alguém tomar no rabo, ou qualquer outra atitude bem mal-criada.

Pensei mil vezes em não publicar este post - "vai estragar todo o meu perfil de boa-moça", mas, convenhamos, pra que que eu tenho a porra deste blog, senão para escrever o que der na minha veneta?

Respira...solta...respira...solta...respira...solta
Pronto, desabafei.

Nenhum comentário: