sexta-feira, 28 de abril de 2006

Caí na rua


Caí na rua

Tem coisa mais constrangedora do que tomar um tombo na rua? Que tal se for em frente do prédio onde você trabalha? Melhor ainda no horário do almoço, com bastante gente na rua? E pra finalizar, de saia??! Pois é, tirando a saia, aconteceu isso comigo hoje. Ainda bem que estava de calça jeans. Tomei um tombo e caí de joelho no meio da calçada...Eu sei que poderia alegar que estava dando graças ao Senhor, mas será que alguém acreditaria? Maldição, essas calçadas são impossíveis de se andar...Eu vivo torcendo o pé, mas cair, fazia tempo que eu não caía. Que vexame....

Tirando isso, e o fato do meu joelho estar doendo, o dia foi normal. Tô rezando para chegar o fim do expediente, quero ir para a casa e começar a curtir o feriadão! Até mais!

quarta-feira, 26 de abril de 2006

A dura jornada da mulher moderna
É, minha gente, ser mulher, dona de casa e profissional não é mole não. Me avisaram, mas você sempre pensa: Eu posso lidar com isso. E pode mesmo. Mas não é fácil não. Quando as coisas estão bem, até que tudo bem. Mas quando você não está bem, com problemas, como ultimamente vem acontecendo comigo, é difícil ter disposição de encarar um tanque de roupa (tá bom vai, às vezes é uma máquina de lavar automática), mas mesmo assim, é difícil encontrar o pique para arrumar os armários, limpar a geladeira ou o fogão.
Quem me conhece, vai dizer: você tem uma secretária do lar. Tenho, lógico. Uma mulher moderna não vive sem ela. Mas tem coisas que só você sabe fazer. Como lavar minhas roupas: esta é uma tarefa que não delego pra ninguém. Só confiava na minha mãe pra fazer isso, mas perdi esta mordomia...hehehe...Pensando bem, será que ela aceita uma trouxona de roupa toda semana? Tô brincando, foi só um sonho repentino...
Vejam só a minha rotina resumida:
6:00 Abrir o olho e ajudar o marido a escolher a gravata do dia (eles nunca acertam muito as combinações)
6:45hs Acordo finalmente. Eu disse que só abria o olho as 6. Saio da cama. Considero esta tarefa a mais difícil do dia.
7:00hs: Tomo café e dou comida pra cachorra
7:30hs Banho e montagem para o trabalho (pentear cabelo, escolher roupa, sapato, bolsa, etc.)
Entre 8:00 e 8:15hs: arrumar a cama, recolher o cocô e o jornal de xixi da cachorra, recolher os brinquedos da cachorra, trocar a água da cachorra (essa cachorra tá me dando muito trabalho!)
Entre 8:30 18:00hs: Escritório. Aturar clientes chatos, brigar por dinheiro que não é seu, ficar irritada por causa de um e-mail, ficar esperando uma resposta do emprego novo, aturar chefe e gente chata. Nem todos, mas alguns são chatos mesmo. Nesse período costumo me divertir um pouco com os colegas. Somos seres-humanos também. Fico imaginando quantas coisas úteis poderia fazer neste período longo..hehehe
18:30: passar na padaria ou no supermercado, dependendo de como está a dispensa da casa. Tem dias que a geladeira é uma ilha deserta, cercada de água para todos os lados!
19:00: Chegar em casa, levar a cachorra pra passear, pentear a cachorra, dar comida pra cachorra, trocar a água da cachorra, limpar xixi e cocô da cachorra, levar as tranqueiras da cachorra de volta pro quarto.Essa cachorra...Minha mãe me avisou disso também...
19:40: lavar algumas roupas*, enquanto penso o que vou fazer para o jantar. Tarefa árdua. Cardápio balanceado, nutritivo, light e interessante todo o dia é impossível, você sempre acaba caindo no hot dog e no sanduíche de salame. * Pode haver variação da tarefa doméstica, conforme o dia.
20:00 - 21:00 Preparar um lanche pro marido e pra você que também é filha de Deus, recebê-lo com alegria, perguntar "como foi seu dia?", escutar os problemas, ter sempre uma resposta otimista na ponta da língua. O dia começa a ficar bom aí...Mas peraí, já é noite?!.
21:00 - 22:00 Lavar a louça da janta, tarefa que pode ser empurrada para a manhã seguinte.
Conversar com o maridão, brincar com a cachorra, namorar quando se tem disposição, dar um pulinho na internet, tentar escrever algo razoável no blog.
22:00 - 23:00 Arrumo mais alguma coisa pela casa, guardar roupas, passar um paninho básico. Me preparo pra minha caminha, banho, aproveito para ler algumas páginas do meu livro de cabeceira, ver um pouco de tv se for o caso.
23:30 24:00 Beijo de boa noite, te amo no ouvido (isso é bom!) e zzzzzzzzzzzzzzzzz
Ufa! Ainda preciso arrumar um espaço nisso tudo aí pra uma hora de academia, 3x por semana, claro. Preciso também de 15 minutos sem fazer nada (o tal do ócio criativo). Tente colocar os cuidados com um bebê daqui há alguns anos, e juro, que não sei como farei. Acho que toda mãe deve ganhar por magia (e merecimento) umas 5 horas extras no dia para conseguir lidar com tudo. Será esse o segredo?
Agora chega, já passei tempo demais no blog. Qual é a próxima tarefa mesmo?

terça-feira, 25 de abril de 2006

Tudo vai mudar...


A ave sai do ovo. O ovo é o mundo.
Quem quiser nascer tem que destruir um mundo
Hermann Hesse
Ontem fui fazer outra entrevista. Neste momento tenho 4 possíveis vagas pendentes. De qualquer forma, tudo vai mudar. Ou eu fico sem emprego ou eu vou ter que me adaptar a outro emprego. As duas situações me assustam. Tenho medo de ficar desempregada e me tornar uma mulher desinteressante, sem assunto e vazia. Porque eu vivo reclamando de trabalhar, mas não me imagino sem... Posso também ser chamada para alguma dessas vagas. Oba, novo emprego, mas toda mudança é difícil. Novas pessoas, novos ambientes. Você tem que analisar cada um, ver em quem você pode confiar, pode errar nos seus julgamentos. Tem também que mostrar a todos que você é competente, qual é o seu potencial....Tudo de novo...
Pior de tudo isso é a espera. É não saber. É não ter certeza de nada.
Melhor é confiar. Saber que Deus tem um plano traçado e nada vai nos desviar do nosso destino.
Difícil é por de lado a necessidade humana de saber o que há por vir e esquecer da fé.

domingo, 23 de abril de 2006

Mulheres são como ondas e homens, como elásticos

Mulheres são como ondas e homens, como elásticos
Do livro "Homens são de marte, mulheres são de vênus:
"Uma mulher é como uma onda. Quando ela se sente amada, sua auto-estima sobe e desce num movimento ondulatório. Quando ela estiver se sentindo realmente bem, ela atingirá o pico, mas então, de repente, seu estado de ânimo pode mudar e sua onda quebrar vertiginosamente. Esse mergulho é temporário. Depois de atingir o fundo, de repente, seu estado de ânimo mudará e ela de novo se sentirá bem sobre si mesma. Automaticamente, sua onda começa a subir de novo."
"Os homens são como elásticos. Quando se retiram, só podem esticar até uma certa distância antes de saltar de volta. Um elástico é uma metáfora perfeita para entender o ciclo masculino de intimidade. Esse ciclo envolve aproximação, afastamento, e, de novo, aproximação".
++
Hoje acordei com a maré baixa. O elástico estava esticado até o fim. Me retirei e estava quase me afogando em mim mesma. O elástico voltou. Me acarinhou, me escutou, me apoiou. Minha onda subiu novamente. É bom saber que as ondas vão e vem. E que os bons elásticos não se rompem.

sexta-feira, 21 de abril de 2006

Acabou a era do voyerismo no orkut

Acabou a era do voyerismo no orkut
Já era! Hoje entrei no orkut e, para minha surpresa, colocaram uma ferramente onde você pode ver os cinco últimos usuários que visualizaram sua página. Isso significa que verificar as fotos dos seus amigos no anonimato não será mais possível! hahahaha..Eu tenho que confessar: adorava dar uma espiadinha nas fotos de todo o mundo. É claro que o recurso pode ser desativado, porém, se você desativar, vai perder o direito de saber quem vê o seu...Vamos ver o que vai ganhar: a curiosidade ou o anonimato.
O mais engraçado é que fui ver quem tinha visto o meu perfil e, em primeiro lugar, aparece uma pessoa que não é minha amiga, muito pelo contrário... Estou pensando em cometer orkuticidio...Mas é um lugar que tenho para dar um oi as pessoas que não estão por perto. Vou pensar no assunto.
Mudando de assunto, o dia de feriado voou, levei a Nala à praia, e a maluquinha pulou na areia. Tive que recorrer ao pet shop pra ela tomar um banho de emergência. Também dormi muito a tarde, que delícia!
Alugamos três filmes e a noite vai ser regada a pizza e coca-cola. Deveria existir um feriado toda semana!
Bjs e até mais!

quinta-feira, 20 de abril de 2006

Dèja vu

Dèja vu

Ai que horror! Ontem tive uma sensação de dèja vu tão esquisita..Detesto quando isso acontece..Como não quero cogitar a idéia de que estou ficando louca e a cena do "já vi" envolveu o filme Dirty Dancing 2 (?!), acredito que não seja nenhuma lembrança de vidas passadas. Para tanto procurei na internet (santo cadê!) uma explicação científica para o dèja vu. E encontrei:
A sensação de Deja Vu pode ser causada por uma falha no cérebro que causaria um delay para a chegada das informações nos centros cognitivos. Assim, as informações chegariam duplicadas causando a sensação de "isso já aconteceu". (Alan S. Brown da Southern Methodist University no Current Directions in Psychological Science.)
Pior do que o dèja vu de ontem, é o "já vi esse filme antes que está rolando": aguardando a resposta do "Better togheter". Estão demorando tanto pra dar uma resposta e no final será um não redondo. Será que a história vai se repetir?
Trabalhei muito essa semana, me aborreci bastante, mas enfim, o feriado chegou. Ufa! Vou aproveitar para namorar o meu marido porque ultimamente nossa rotina não tem sido fácil. Vou trancar portas e janelas e deixar o mundo do lado de fora e pensar somente em nós dois...
..E na Nala...
Até!

quarta-feira, 19 de abril de 2006

Este texto poderia ser meu...De tão próximo da minha verdade.Mas não é. É do Blônicas (tem link). Vamos ao texto adaptado para o feminino, claro...
Eu queria poder te amar do jeito que você é, sem enxergar seus defeitos, suas manias e manhas. Eu queria não querer a perfeição, não exigir o máximo, ser tolerante e talvez até um pouco mais ingênuo. É verdade, assim eu queria não perceber tudo que se passa, não entender sua maneira de pensar, não te achar fria e calculista, sedutora e manipuladora, não ter rancor e muito menos desconfiança de você. Dói muito quando vejo que você nem sempre é quem eu gostaria que fosse, que seus objetivos não são os que eu esperava, que sua linha de raciocínio é muitas vezes duvidosa, que me assusto com o que você fala e ainda mais com a sua maneira agressiva de se defender. Eu queria não ver nada disso, olhar para dentro de você e só perceber as coisas boas, sim, pois você é repleto de virtudes, não pense que só vejo a sua sombra. Não, nada disso, vejo também a sua luz, mas os contrastes são fortes e não há como fingir que o latente desencanto também existe, que sua carne fede como a dos anjos e demônios. A balança ora pende para cá, ora pende para lá, normal, tudo igual, mas eu queria poder ver só um dos lados, dois pesos e uma só medida. Você me pergunta por que isso, eu te respondo que não sei, talvez seja o movimento dos astros, as pressões da sociedade, as imposições da vida, tanto faz, tanto fez. Eu queria poder te classificar como uma mulher boa, do bem, que respeita o limite dos outros, que respeita seus próprios limites, que não é guiado apenas por interesses próprios e sim os das pessoas que te cercam, dos que te querem bem. Eu queria poder encher minha boca de dentes e gritar ao mundo que você é um exemplo a ser seguido em todos os aspectos e não apenas aqui ou ali. Enfim, é como tudo na vida, mas eu queria poder ser um pouco menos teimosa, um pouco menos míope com a realidade. Você, que vejo agora no espelho, sou eu e é por isso que eu queria poder te entender melhor, te dominar mais e saber algo mais sobre mim mesma. Eu queria poder ser menos cega, menos muda, menos surda, ou - simplesmente - menos eu.

terça-feira, 18 de abril de 2006

Quem espera sempre cansa

Frase do dia: Quem espera sempre cansa....

Tô tão cansadinha de esperar respostas e ouvir o mundo me pedir PACIÊNCIA....
ai, ai, quando o pesadelo vai terminar??

P.S: meus posts estão curtos porque estou com muito trabalho!

Até mais

segunda-feira, 17 de abril de 2006


Lembranças da Páscoa I



Yasmim, com seu primeiro coelho. Cada dia mais linda e sapeca. Ela já se vira sozinha e está tentando engatinhar!

Posted by Picasa

Lembranças da Páscoa II


Lembranças da Páscoa II


Nala, a coelhinha mais fofa do mundo! E com quatro orelhas!

Posted by Picasa

Lembranças da Páscoa


Lembranças da Páscoa III



Amigo secreto de chocolate /Mercotrade - 13/04/06

 Posted by Picasa

quinta-feira, 13 de abril de 2006

I'm on my way


I'm on my way....
Sei que tenho milhões de problemas na cabeça, estou aguardando umas respostas cruciais na minha vida, meu marido tá tristinho...Mas tenho fé que tudo vai se resolver...Vem vindo um feriado aí, é Páscoa, época de renovação e esperança (além de muito chocolate, é claro).
Ontem assisti o filme Irmão Urso (pode me chamar de boba, adoro desenhos!) e amei uma musiquinha do filme. Segue um pedacinho, ela tem tudo a ver com a fase da minha vida.
Phil Collins - On My way
Tell everybody I'm on my way
New friends and new places to see
With blue skies ahead yes
I'm on my way
And there's nowhere else that I'd rather be
Tell everybody I'm on my way
And I'm loving every step I take
With the sun beating down yes
I'm on my way
And I can't keep this smile off my face

quarta-feira, 12 de abril de 2006

O barato sai caro...E depois eu que levo fama de fresca!

O barato sai caro...E depois eu que levo fama de fresca!
Carrego a maior fama de fresca e metida entre meus conhecidos. Falam que eu só gosto do que é caro, e blábláblá. A culpa não é minha! Eu não olho a etiqueta do preço antes de gostar de algo, mas, pode apostar, se eu gostar de alguma coisa, é sempre a coisa mais cara.
Estava precisando de uma bolsa caramelo nova. A minha pobre e querida bolsa estava horrível: suja, com um zíper rasgando...Parti para a compra. Procurei, procurei e só achava bolsas caríssimas. Algumas nem eram tão caras, mas eu não gostava. Resisti bravamente e não comprei, estou aprendendo a controlar aos meus impulsos consumistas. Até que um dia entrei numa loja e achei uma bolsa caramelo bonita de verdade; tudo bem que ela não era de couro, mas aparentemente tinha um bom acabamento. Me apaixonei pela bolsa e pelo preço dela: R$ 45,00! Me senti a consumidora mais esperta do mundo que conseguiu aliar qualidade com bom preço. Mostrei para as amigas a nova aquisição e pro maridão que ficou feliz em ver minha consciência...Como fui tolinha! A compra foi efetuada em 03/04 e ontem, dia 11, percebi que o tecido do fundo da bolsa tinha rasgado! Ai, que ódio! E também um acabamento de ferro do ziper caiu....Buááááá...
Como sou uma consumidora exigente, voltei hoje na loja para trocar. Para minha decepção não havia mais o mesmo modelo de bolsa. E não gostei de nenhuma como gostei daquela...Acabei trazendo uma bolsa que eu tenho 99% de certeza que nunca vou usar...É bonita, mas não é a minha cara.
Resumindo: gastei R$ 45,00 por uma bolsa que vai ficar encalhada no meu armário e eu continuo sem a bolsa caramelo! O que era economia acabou virando desperdício. E eu ainda preciso comprar uma nova bolsa caramelo. Então o custo da minha nova bolsa caramelo será "x" (com certeza qualquer coisa com mais três dígitos) + R$ 45,00. Aí, da próxima vez que me oferecerem uma coisa barata e eu ficar com receio de comprar, vão me falar assim: "Ai, De, como você é fresca!"

terça-feira, 11 de abril de 2006

Crash - No limite

Ontem assisti ao filme Crash e, merecidamente ele ganhou o Oscar. Ok, não sou crítica de cinema, mas sou fã, e, há um bom tempo, um filme não me fazia pensar tanto...Então, vocês me perguntam: qual a história? Eu não sei explicar. São várias vidas se cruzando o tempo todo, mostrando os dois lados das pessoas: ninguém é de todo bom ou ruim. O mocinho acaba matando por medo, enquanto o bandido desiste de dinheiro para dar liberdade para desconhecidos. Estes são alguns dos muitos acontecimentos da trama. O tema do filme é justamente o pré-conceito, não só contra o negro, mas também aos asiáticos, latinos e ao povo do oriente médio. Nós nos reconhecemos quando a mulher burguesa e metida se sente amendrontada quando dois negros passam por ela. Preconceito? Pode ser. Mas quem nunca se sentiu assim? Quem nunca fechou o vidro do carro porque um rapaz, negro ou não, mas visivelmente pobre, se aproximava da porta? Talvez a pobre alma só precisasse de ajuda, comida, ou nem iria fazer nada, mas, e a sua vida? Dá pra confiar? Não, não dá. Infelizmente, hoje somos condicionados a não confiar em ninguém, a se amedrontar em cada esquina, se algum desconhecido com características "suspeitas" passam por nós. Hoje tenho medo até de crianças! E crianças podem sim portar armas e tirar sua vida...Triste, mas real.
Agora me digam: A culpa é minha, que tento me proteger na minha frágil redoma da classe média, ou do mundo? A culpa é minha por ter medo de gente?

segunda-feira, 10 de abril de 2006

Ai...

Ai...
Desculpe, mas estou cheia de trabalho e sem nenhuma inspiração...Deixo então Cecícilia falar por mim...hehehe...Que esta seja uma boa semana! (pelo menos ela é mais curta)
É preciso não esquecer nada:
nem a torneira aberta nem o fogo aceso,
nem o sorriso para os infelizes
nem a oração de cada instante.
É preciso não esquecer de ver a nova borboleta
nem o céu de sempre.
O que é preciso é esquecer o nosso rosto,
o nosso nome,o som da nossa voz,
o ritmo do nosso pulso.
O que é preciso esqueceré o dia carregado de atos,
a idéia de recompensa e de glória.
O que é preciso é ser
como se já não fôssemos,
vigiados pelos próprios olhosseveros conosco,
pois o resto não nos pertence.
Cecília Meireles

quinta-feira, 6 de abril de 2006

O amor incondicional em quatro patas

O amor incondicional em quatro patas.
Estava há alguns dias sem dar atenção as coisas que eu gosto. O meu querido bloguinho, por exemplo, ficou uns dias sem post. Ando cansada, desmotivada; não fui selecionada na nova empresa, fiz algumas entrevistas estas últimas duas semanas, enfim, a vida está tumultuada. A Nala então, tadinha, não tem toda a atenção que ela merece há mais de uma semana. Chego estressada, desanimada e nem dou muita bola para ela.
Com peso na consciência, cheguei hoje em casa, disposta a agradá-la e a brincar com ela. Pensa que ela me ignorou, ou fez "jogo duro", como qualquer ser humano faria? Não, ela se atirou no meu colo, me deu muito carinho e se deixou acarinhar...Ela é o bichinho mais doce que conheço. Quem nunca se apaixonou por um focinho molhado, não sabe do que eu estou falando, mas é muito bom ter um amigo bicho. Ela me ouve, lambe minhas lágrimas, me faz rir com as suas patetices e não me pergunta nem cobra nada. Está sempre ali, ao alcance da minha mão, esperando um carinho. Amor incondicional, amor de bicho. Em tempos de tantos "amigos da onça", ter um cão amigo vale ouro!

segunda-feira, 3 de abril de 2006

Palhaço

Palhaço

Busco um poema
para o palhaço
que habita em mim

gargalhante
colorido
sem idade

Palhaço reflexo
comediante e trágico
Deve ser mágico
o meu objeto de culto

grandeza cósmica
máscara de anjo
o palhaço do
meu circo íntimo

Jair Yanni


 Posted by Picasa

domingo, 2 de abril de 2006

Uma cama para três

Uma cama para três

Fins de semana são os dias de glória da Nala. Ela toma banho, não vai pra rua e ganha o direito de ficar na cama com a gente pela manhã. O lugar preferido para ela dormir é em cima da nossa cabeça. Isso mesmo. Ela faz uma curva com o corpo bem em cima da nossa cabeça e nos empurra um pouco para fora do travesseiro. Ainda bem que ela reveza, às vezes é a minha cabeça, às vezes a dele. Como um chapéu. Um lhachapéu ou um chapeuapso. Às vezes ela lambe nossa cara em agradecimento. E dorme tranquila, colocando um pouquinho mais de peso na nossa consciência...