terça-feira, 11 de abril de 2006

Crash - No limite

Ontem assisti ao filme Crash e, merecidamente ele ganhou o Oscar. Ok, não sou crítica de cinema, mas sou fã, e, há um bom tempo, um filme não me fazia pensar tanto...Então, vocês me perguntam: qual a história? Eu não sei explicar. São várias vidas se cruzando o tempo todo, mostrando os dois lados das pessoas: ninguém é de todo bom ou ruim. O mocinho acaba matando por medo, enquanto o bandido desiste de dinheiro para dar liberdade para desconhecidos. Estes são alguns dos muitos acontecimentos da trama. O tema do filme é justamente o pré-conceito, não só contra o negro, mas também aos asiáticos, latinos e ao povo do oriente médio. Nós nos reconhecemos quando a mulher burguesa e metida se sente amendrontada quando dois negros passam por ela. Preconceito? Pode ser. Mas quem nunca se sentiu assim? Quem nunca fechou o vidro do carro porque um rapaz, negro ou não, mas visivelmente pobre, se aproximava da porta? Talvez a pobre alma só precisasse de ajuda, comida, ou nem iria fazer nada, mas, e a sua vida? Dá pra confiar? Não, não dá. Infelizmente, hoje somos condicionados a não confiar em ninguém, a se amedrontar em cada esquina, se algum desconhecido com características "suspeitas" passam por nós. Hoje tenho medo até de crianças! E crianças podem sim portar armas e tirar sua vida...Triste, mas real.
Agora me digam: A culpa é minha, que tento me proteger na minha frágil redoma da classe média, ou do mundo? A culpa é minha por ter medo de gente?

Nenhum comentário: