sábado, 30 de dezembro de 2006






A vida não se esgota. Ela se renova. O fim de um caminho é o começo de outro e assim os ciclos vão se sucedendo desde sempre. Não vamos temer a mudança. A evolução é inevitável e no crescimento próprio e do Universo estão as chaves para alcançar muitos sonhos mais, únicos e inesgotáveis, para toda a humanidade.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2006



Ganhar presente é muito bom! Ganhar presente em nenhuma data especial: não tem preço!

Hoje meu amorzinho foi no shopping, lembrou que eu tinha adorado o perfume Lily e o comprou pra mim só porque eu gostei! Sem ser presente de Natal, nem de nada... Adoro isso, presentes sem data marcada! Vou entrar 2007 de cheirinho novo! Obrigado, amor, AMEI!!!


Retrospectiva 2006
Passei o tempo inteiro falando que esse ano não foi muito bom....Realmente, foi um ano conturbado na parte profissional, mas, vou agradecer por tudo de bom que também aconteceu. Não nos faltou o emprego, nem comida, nem saúde. Pra minha família também não, então Graças a Deus! Foi um ano do jeito que era pra ser, não é verdade? Espero que 2007 seja um ano melhor para mim, para minha família e para os meus amigos, para o país (se for possível, já que o Lula continua sendo o presidente ;c( ). E paz para o mundo, o sonho mais utópico de todos, mas, com licença, temos o direito de sonhar!
Vamos a retrospectiva:
Amor: foi um ano maravilhoso. O nosso relacionamento está cada dia mais forte, comemoramos dois anos de casados e somente uma discussão feia (kkk). Tivemos até direito a uma mini terceira lua de mel! Continuo apaixonada e o amo ainda mais...
Profissão: Vixe, essa foi dureza. Três empregos em um só ano! Muitas entrevistas, muitas incertezas, mas no fim fiquei firme na corda bamba. Ainda não estou no paraíso, mas... quem está?
Dinheiro: pra variar, gastei mais do que devia. Este foi o ano dos sapatos, ave Maria!, parece até que tenho 6 pares de pés. Mas também pela primeira vez na vida, tenho uma reserva. Ainda não tenho planos pra ela, mas tá lá guardadinha. Além disso, iniciei meu plano de previdência privada. Vou garantindo o meu futuro.
Amigos: Os de sempre continuam. Algumas amizades foram consolidadadas e conheci muita gente bacana também que espero que façam parte da minha vida por um bom tempo.
Saúde e fitness: Podemos pular esse assunto? Dos 365 dias do ano, devo ter feito exercícios em cinco. Uma vergonha. Quanto a saúde, apesar de nada grave, tive 267 gripes, alguns caroços de pus em lugares pouco confortáveis, várias "ziquiziras"...
Morte: Perdi um tio a poucos dias. Não éramos muitos ligados, mas ele era boa pessoa. Graças a Deus não perdi nenhuma pessoa muito próxima este ano.
Blog: no começo deste ano, mudei de template! E ele tá lindo, mas...Será que tá na hora de mudar?
Eu no mundo: Continuo aqui, uma simples criatura aprendendo a viver. Estou mais ligada a minha fé, tenho tido muitos testes de paciência e tive muitas provas concretas de que Deus é por mim. Tenho certeza de que hoje sou uma pessoa melhor do que já fui. Mas ainda tenho muito o que aprender. Vamos caminhar para 2007 e ver o que a vida nos reserva!
Bjs e até!

terça-feira, 26 de dezembro de 2006

Contos de Natal


Conto de Natal: A pé de barro

Por incrível que pareça, esta história aconteceu no dia de natal, quando todos tinham de ser mais felizes e amáveis....
Personagens
Ricardo - o motorista
Marcelo - o envergonhado, quase se escondendo atrás do banco pelo barraco
Ana Cris - defensora do motorista
Eu - participação especial (ou kenga kkkk)
Pé de barro - a criatura que cruzou o nosso caminho
O banana - o marido da Pé de Barro

Estávamos chegando à praia, dia 25 de dezembro pela manhã. Vimos uma vaga bem na avenida da praia e logo o Ricardo engatou a ré para estacionar. Tinha uma cidadã parada no meio fio. Eu juro que pensei que ela estava atravessando a rua. Quando o Ricardo deu a ré, ela começou a bater com força na lataria do carro e disse a seguinte pérola:
Pé de barro: - Olhe, bixim, eu tô "guardano" a vaga, num tá "veno"?
Ricardo: - A senhora não é daqui, né? Aqui não tem essa de guardar a vaga, sai daí que a senhora vai se machucar...
Pé de barro: - Eu ví a vaga primeiro e tava "guardano"....Sai daí que meu "maridio" tá "chegano"
Ricardo: - Sinto muito, cheguei primeiro (dando ré em cima da mulher)...Sai daí.
Ana Cris: - Sai daí, minha senhora.
Pé de barro: -Num saio não, eu vou ti dinunciá!
Eu: gargalhadas
Marcelo: -Se esconde com o boné
Ricardo: -Então vai, a polícia tá alí na frente.
Pé de barro: -Depois num recrama si teu carro aparecê arranhado...

...Chega o Banana e encosta

Ricardo: - Amigo, tira ela daqui vai...
Pé de barro: *%#@&&* "*%&!!!## @@@@@
Eu: Sai daqui, sua pé de barro!!! (em alto e bom som!)
Pé de barro: Pé de barro é você, sua "kenga" &%$@!* $#@*
Marcelo: praticamente se enterra no banco traseiro de tanta vergonha
.....
O fim da história: a Pé de barro foi embora kenga da vida e nem me desejou Feliz Natal. Nós cedemos a vaga para um outro carro e colocamos o carro no estacionamento com medo da vingança da Pé de barro, afinal, a mulher era arretadia e a brincadeira podia acabar mal. Mas que ela não ficou com a vaga, ah, não ficou....Kkkkk. Ok, ok, eu sei que me excedi ao chamar a pobre senhora do subúrbio da baixada santista de "pé de barro", mas...Alguém merece um episódio desse? Eu to pensando até em "pegar emprestado" uns cones da CET e deixar no porta-malas, pra quando eu ver uma vaga da boa, sair correndo do carro e deitar no chão pra guardar lugar...Se essa moda pega....

Pequeno dicionário para fácil entendimento:

Kenga: palavra de origem mais humilde, que quer dizer mulher da vida, prostituta, puta
Pé de barro: nenhuma definição concreta, mas uma pessoa não acostumada a frequentar lugares civilizados, Dona Xepa, ralé.


segunda-feira, 25 de dezembro de 2006

domingo, 24 de dezembro de 2006


Feliz Natal!



...Quando me encontro com velhos amigos, lembro-me de como o tempo passa depressa. E isso faz com que eu me pergunte se utilizamos nosso tempo bem ou não. A utilização adequada do tempo é de extrema importância. Enquanto tivermos esse corpo e especialmente esse assombroso cérebro humano, creio que cada minuto é algo precioso. Nossa existência diária é repleta de esperança embora não haja nenhuma garantia quanto ao nosso futuro. Não há nenhuma garantia de que amanhã a esta hora estaremos aqui. Mesmo assim, trabalhamos para isso apenas com base na esperança. Portanto, precisamos fazer melhor uso possível do nosso tempo. Creio que a melhor utilização do tempo é a seguinte: se for possível, servir aos outros, a outros seres sencientes. Se não for possível, pelo menos não procurar prejudicá-los...
Logo, reflitamos sobre o que realmente tem valor na vida, o que confere significado a nossa vida, e fixemos nossas prioridades nisso. O propósito da nossa vida precisa ser positivo. Não nascemos com a finalidade de causar problemas, de prejudicar os outros. Para que nossa vida tenha valor, creio que devemos desenvolver boas qualidades humanas essenciais - o carinho, a bondade, a compaixão. Com isso nossa vida ganha significado e se torna mais tranquila, mais feliz.

Do livro "A arte da Felicidade" - Dalai Lama

sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Sumi, mas voltei....

Ai, desde que voltei da Ilha não parei e fiquei sem tempo de vir aqui....Muita correria, compras de Natal, confraternizações...
Atualizando:
Ilha Bela foi ótimo, pegamos sol todos os dias! Pena que foram só três dias.
Tive três amigos-secreto, da NYK, do pessoal antigo da Merco e das Amigaz, todos foram ótimos, me diverti muito.
De resto tudo normal, o trabalho a mesma coisinha de sempre....
Então é isso, fiquem com Deus e Feliz Natal pra todos!
Espero ainda fazer um último post antes do fim do ano!
Bjs e até!


Ilha Bela, relax total


Chá das Amigaz - É sempre um prazer reunir esta mulherada


Amigo secreto da nova empresa - Construindo um novo caminho...

Docsantos forever - Só palhaçadas e amizade consolidada!

quinta-feira, 7 de dezembro de 2006

A caminho de Ilhabela

Tchau, volto na segunda e se Deus quiser, bronzeada!!!

Eu vou me embora para a Ilha, fazer a cabeça sobre o sol que irradia....

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006