terça-feira, 26 de dezembro de 2006

Contos de Natal


Conto de Natal: A pé de barro

Por incrível que pareça, esta história aconteceu no dia de natal, quando todos tinham de ser mais felizes e amáveis....
Personagens
Ricardo - o motorista
Marcelo - o envergonhado, quase se escondendo atrás do banco pelo barraco
Ana Cris - defensora do motorista
Eu - participação especial (ou kenga kkkk)
Pé de barro - a criatura que cruzou o nosso caminho
O banana - o marido da Pé de Barro

Estávamos chegando à praia, dia 25 de dezembro pela manhã. Vimos uma vaga bem na avenida da praia e logo o Ricardo engatou a ré para estacionar. Tinha uma cidadã parada no meio fio. Eu juro que pensei que ela estava atravessando a rua. Quando o Ricardo deu a ré, ela começou a bater com força na lataria do carro e disse a seguinte pérola:
Pé de barro: - Olhe, bixim, eu tô "guardano" a vaga, num tá "veno"?
Ricardo: - A senhora não é daqui, né? Aqui não tem essa de guardar a vaga, sai daí que a senhora vai se machucar...
Pé de barro: - Eu ví a vaga primeiro e tava "guardano"....Sai daí que meu "maridio" tá "chegano"
Ricardo: - Sinto muito, cheguei primeiro (dando ré em cima da mulher)...Sai daí.
Ana Cris: - Sai daí, minha senhora.
Pé de barro: -Num saio não, eu vou ti dinunciá!
Eu: gargalhadas
Marcelo: -Se esconde com o boné
Ricardo: -Então vai, a polícia tá alí na frente.
Pé de barro: -Depois num recrama si teu carro aparecê arranhado...

...Chega o Banana e encosta

Ricardo: - Amigo, tira ela daqui vai...
Pé de barro: *%#@&&* "*%&!!!## @@@@@
Eu: Sai daqui, sua pé de barro!!! (em alto e bom som!)
Pé de barro: Pé de barro é você, sua "kenga" &%$@!* $#@*
Marcelo: praticamente se enterra no banco traseiro de tanta vergonha
.....
O fim da história: a Pé de barro foi embora kenga da vida e nem me desejou Feliz Natal. Nós cedemos a vaga para um outro carro e colocamos o carro no estacionamento com medo da vingança da Pé de barro, afinal, a mulher era arretadia e a brincadeira podia acabar mal. Mas que ela não ficou com a vaga, ah, não ficou....Kkkkk. Ok, ok, eu sei que me excedi ao chamar a pobre senhora do subúrbio da baixada santista de "pé de barro", mas...Alguém merece um episódio desse? Eu to pensando até em "pegar emprestado" uns cones da CET e deixar no porta-malas, pra quando eu ver uma vaga da boa, sair correndo do carro e deitar no chão pra guardar lugar...Se essa moda pega....

Pequeno dicionário para fácil entendimento:

Kenga: palavra de origem mais humilde, que quer dizer mulher da vida, prostituta, puta
Pé de barro: nenhuma definição concreta, mas uma pessoa não acostumada a frequentar lugares civilizados, Dona Xepa, ralé.


Nenhum comentário: