domingo, 5 de agosto de 2007


Tanta coisa aconteceu nestes últimos dias....

Vou começar pela mais recente e a mais linda. No sábado fui assistir a primeira ultrassom do bebê da Juliana. Achei que não ia ver nada além de um borrão e escutar uns barulhos esquisitos. Afinal, ela está entrando na 13 semana...Mas eu ví um milagre de Deus, um ser de cinco centímetros com todas as formas já definidas: cabecinha, bracinhos, perninhas, olhinhos...O coração acelerado, batendo forte, dizendo lá de dentro: "Ói eu aqui, galera, tô me preparando pra entrar nessa família doida....". Vida, milagre, um mar de fluídos, pulsação... Não sei explicar o que ví além do monitor e senti. Coisas de Deus, uma certeza de que tudo vai dar certo.... Consegui imaginar o calor do ventre e ele tão aquecidinho, confortável e protegido lá dentro... Tão pequeno e tão forte, tão especial e tão alegre. O bebê deu um show, virou cambalhota, virou de bumbum pra deixar bem claro: Eu estou aqui, sou alegre e forte, um verdadeiro milagre. Amei conhecer o meu afilhado. E pretendo participar de todos os encontros até o dia em que ele decidir vir ao mundo...Se é menina ou menino? A médica apostou 60% de chance de ser menina....Será a Ana Beatriz?

Não tenho mais 32 dentes....

Na quinta-feira fiz uma cirurgia para extrair dois dentes do siso. Um saiu em cinco minutos, o outro que estava "incluso" demorou uma hora e quinze para sair, mais ou menos. Pior que um parto e o dentista, ao final, parecia um açougueiro....Estou com a boca costurada e comendo só alimentos líquidos gelados e pastosos "mornos" desde então. Estou sonhando com um bife e com um pão bem crocante, daqueles que machucam o céu da boca, sabe? Mas, os pontos só vão ser retirados dia 13 e tudo ainda está meio dolorido, então tenho que maneirar. O bom é que perdi acho que meio quilo...(tanto sacrifício por tão pouco....). Ainda resta mais um dente para eu deixar de ter juízo de vez!

O bem vence o mal, espanta o temporal...

Eu sempre fui um pouco covarde pra me defender de golpes baixos das pessoas que me maltratavam. Mesmo não tendo culpa, mesmo não tendo motivo para tal, sempre abaixava a cabeça para os "ditos" superiores, reclamava à beça para quem não podia resolver, mas ficava quieta. Pelo jeito que fui criada, por "educação", sempre fugi dos confrontos. Quanda a primeira menina quis me bater no colégio porque eu disse que o namoradinho dela era bonito, chamei minha mãe. Na maioria das vezes corri, eu admito. Ganhei algumas batalhas, sim, mas me omiti em muitas. Quantas eu engoli em seco! E quanto mais importante o motivo, quanto mais me doía, mais eu me retraía. Desta vez, com 29 anos nas costas, dei um basta. Não fiz escândalo, não dei nem um soquinho (que pena!), mas, simplesmente, me movimentei em defesa de mim mesma. Estou me sentindo mais forte do que nunca por ter encarado o problema de frente, sem correr para a barra da saia de ninguém. Disse tudo o que eu queria, da maneira mais educada, forte e calma possível. Com integridade. Claramente, mostrei a minha opinião e disse o que eu não toleraria mais. Foi preciso vencer a mim mesmo, o meu medo, antes de tomar uma atitude. Nessa bobagem, porque o episódio em si foi uma bobagem, uma página da minha vida virou e me sinto mais preparada para outros trancos....Porque tenho consciência de que pode haver uma rebatida, já que não me calei e deixei clara a minha posição. Mas fazia tempo que não dormia tão em paz por ter feito o que meu coração e minha consciência mandaram. E por ter me defendido sozinha, sem correr para a barra da saia da mamãe ou o colo do marido....

"O homem que age não sofre" (Eliot, Thomas)....
e mais....
...."Coragem: admitir que se é um covarde" (Bierce, Ambrose)

Bjs e até!

Nenhum comentário: