domingo, 23 de agosto de 2009

Eu sou uma biblioteca!

Há muito tempo atrás, em um daqueles memes, me perguntaram que livro eu seria e eu disse que eu seria uma biblioteca. E não é que é verdade? No teste da uol, aqui, eu sou três livros (juntos!): Memórias póstumas de Brás Cubas, O alquimista e Antologia Poética, de Drummond. Eis algumas características:

Ok, você não é exatamente uma pessoa fácil e otimista, mas muita gente te adora.

...Afinal, você consegue ser inteligente e perspicaz, mas nem por isso virar as costas para a popularidade - um talento raro.
Claro que esse cinismo ácido que você teima em destilar afasta alguns, e os mais jovens nem sempre conseguem entendê-lo.

Sim, eu sei. Sou teimosa e meio chata. Sou implicante e mimimi. Amoleço fácil diante das adversidades. Desisto ráaaapido.Tenho muitos colegas e me dou bem com (quase) todo o mundo. Em compensação, tenho poucos amigos. Mas os que tenho, amo com o melhor que há em mim. E me sinto querida também. Graças a Deus!

Essa personalidade que agrada a todos pode ter um quê de falta de personalidade, não é não? Bem, de toda forma, você não se importa com isso. O que importa é compartilhar a sua experiência de vida – mística ou não – e atrair admiradores.

Mea culpa. Preciso ser amada. Preciso ser compreendida. Preciso que me amem! Preciso que cuidem de mim. E sofro quando isto não acontece...Aos 31, estou aprendendo a lidar com isso. Entender e admitir foi um parto! Parar de sofrer é só uma questão de tempo.

E não são só os sentimentos que te inspiram. Pequenas experiências do cotidiano – aquela moça que passa correndo com o buquê de flores, o vizinho que cantarola ao buscar o jornal na porta – emocionam você. Seu olhar é doce, mas também perspicaz.

...Seus poemas são singelos e sagazes ao mesmo tempo, provando que não é preciso ser duro para entender as sutilezas do cotidiano.
Adoro olhar o mundo. Ver da janela. Não é fofoca, é contemplação. Ver as pessoas na rua, suas fotos, suas histórias. Acho que por isso adoro blogs desconhecidos. Amo ver a vida! Aprendo muito. Mas, às vezes, tenho que parar de contemplar e viver, senão vou perder muita coisa.

domingo, 16 de agosto de 2009

Como ele é lindo!

Eu sempre pergunto pro Marcelo: O Gabriel é lindo mesmo ou são meus olhos? E ele sempre rí e diz que ele é lindo mesmo...Faz tempo que ele não aparece aqui no blog. E olha como está grande! E lindo! E esperto! Acho que não existe madrinha mais coruja do que eu...
E tem mais: vou ser titia de novo! A Vanessa está gravidíssima e logo terei outro bebê para mimar muito! Tô torcendo por uma menina pra poder comprar vestidos! Mas se for um meninão, ficarei muito feliz também...
Quem sabe mais crianças na família me dão a coragem que eu preciso pra fazer a minha, rs.
Bjs e até!


sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Sou filha de meu pai

Outro dia perguntei ao Marcelo - os olhos cheios de lágrimas, ao ouvir a linda música de Vinicius e Toquinho em uma propaganda da TV: Essa dor um dia vai passar? 
Essa dor é um espaço vazio, é um desconforto no peito, uma saudade do que ele não viveu. Dói aos poucos. Cada cena que eu vivo, registro e penso: meu pai não viu isso. É quando dói. Dói quando eu imagino que ele gostaria de ter vivido isso comigo.
Dói quando eu penso em tudo o que eu não disse.
Dói há seis anos e eu não sei se uma dia essa dor vai passar.
Dói demais.

O que ajuda é olhar no espelho e encontrar um pedaço dele em mim.
O que ajuda é até pensar em fazer algo errado, mas voltar atrás e fazer o que é certo, lembrando do seu exemplo.
O que ajuda é rir e lembrar que quando papai ficasse "mole", ele me levaria ao parque, meu pai, sempre tão durinho...
O que ajuda é ter lindos sonhos com ele.
Sou filha de meu pai. Um pedaço exclusivo dele. Sem ele, eu não seria eu.

Em oração, peço que ele cuide de mim, que me acalante como um anjo do guarda e que me espere na eternidade...

"Fique assim, fique assim
Sempre assim
E se lembre de mim
Pelas coisas que eu dei
E também não se esqueça de mim
Quando você souber enfim
De tudo o que eu falei"