terça-feira, 9 de agosto de 2011

As primeiras sensações

O início da gravidez é tão subjetivo. Apesar de alguns sintomas sutis, todo o resto está igual. Eu me sinto grávida. Mas eu me olho no espelho e não me vejo grávida. É difícil de acreditar que tanta coisa importante esteja acontecendo dentro de mim, assim, no silêncio.
Quando eu pensava na possibilidade de estar grávida, parecia que as mudanças seriam automáticas. Imaginar era como se descobrir grávida e no dia seguinte ter aquele barrigão. Mas não. É tudo lento, fluido, tudo a seu tempo. A gravidez será mais uma grande etapa no meu aprendizado de paciência. Esperar nove meses para uma pessoa ansiosa como eu será uma grande lição!

E as preocupações? O sossego acaba assim que se descobre mãe.  Desde pensar se a gravidez está evoluindo bem, se preocupar com a saúde do bebê, a dor do parto, se eu saberei cuidar de uma vida além da minha, educar uma criança, o mundo louco que ela vai encontrar no futuro, trabalho, quarto do bebê, o meu casamento, nossa vida a dois, o ciúme da Nala, engordar demais, amamentar...São tantas questões!

E o sono....Muito sono...Estou dormindo antes das dez todas as noites. Antes das nove, até. E vou tranquila, até a manhã seguinte. Acredito ser uma compensação da natureza, por todas as noites mal dormidas que estão por vir.

E a aventura está apenas começando...

Nenhum comentário: