sábado, 24 de dezembro de 2011

Então é Natal...

E que Natal! Tenho tanto a agradecer que não sei nem por onde começar...
Tenho dentro de mim o melhor presente do mundo. Tenho o brilho nos olhos do meu marido. A alegria dele por ter conquistado um objetivo de vida. Tenho a felicidade da minha mãe, em poder ver seus netos nascendo. Tenho o amor transbordando nos olhos da minha irmã e cunhado na realização do seu maior sonho, e a luz da vida ao olhar a Larissa que já está aqui. Minha sobrinha Juliana conseguiu um novo emprego e está noiva e feliz.... Olhando para trás, pensando no Natal do ano passado, quanta coisa mudou... Nossos planos e anseios eram tão pequenos diante das maravilhas que Deus fez em nossas vidas. Muito melhor do que sonhamos.

E isso é só o começo.
Porque Deus derramou a sua benção em minha família.
E eu só posso agradecer e agradecer.
E pedir saúde, paz e sabedoria.
Porque o resto, o resto é consequência.

Feliz Natal!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

A dor e a delícia da gravidez

Quem disse que gravidez é uma fase iluminada, linda, cor de rosa...Estava de gozação com a cara da mulherada. Ok, é maravilhoso esperar um bebê e se tornar mãe, mas os efeitos colaterais são gigantescos também. Eu juro que me olho no espelho e fico procurando o tal brilho que as mulheres grávidas trazem dentro de si...Mas o espírito é mesmo transparente e tirando o brilho dos olhos, o que vemos no espelho não é tão bom assim.


Primeiro: gravidez dá gases. É triste admitir, mas é verdade. Fiz pesquisa com outras gestantes e ex-gestantes e é consenso. Todas as grávidas fazem muuuito pum.


Segundo: está ficando ridículo sair da cama. Tenho que rolar de lado, colocar as pernas pra fora e chamar o guindaste. E ainda faltam mais 3 meses...


Terceiro:  Tudo que me vestia da cintura pra baixo já não me serve mais. Desta forma, tenho somente uma calça jeans, duas calças de alfaiataria, uma de malha (que manchou, buá) e um short. Para qualquer ocasião, estas são minhas opções. Minhas calças e short já andam sozinhas, pulam do varal e vem correndo pro meu corpo. Encarnaram. Dou graças por amar vestidos e alguns deles ainda me servirem, mais 80% do meu guarda roupa já me deu tchau. 


Quarto: Roupa de gestante é feia e cara em sua grande maioria. Aparentemente se pensa que se uma mulher engravida ela fica retardada. Tudo tem um babadinho, uma rendinha e um c@r@l#& de detalhe brega....


Quinto: Ainda estou usando salto. Me sinto melhor com eles do que sem. Deixei de lado os sapatos tipo perna de pau (pra minha enorme tristeza), mas os mais aceitáveis ainda estão no meu pé. Mas nunca vi tanta gente preocupada com os meus sapatos... Parece que estou pisando em minas terrestres! Não ando de ônibus, não subo ou desço escadas, caminho no máximo até o restaurante...Qual o problema, enquanto eu me sentir bem com eles?


Sexto: sapato baixo é feio e ponto final.


Sétimo: Pra namorar tá engraçado. Não existe mais aquela pegação, não por falta de vontade, mas porque não dá mesmo. Tem que ajeitar, encaixar, apoiar...Se alguém visse, seria cômico. #Not#.


Oitavo: dormir é difícil também. É mais ou menos como namorar: tem que ajeitar, apoiar. Não dá pra ficar de frente, nem de bruços. Só de lado. Até o lado amortecer todinho, daí você gira pro outro (com a ajuda do guindaste).


Nono: Seu cérebro e músculos viram gelatina. Você pensa uma coisa e fala outra. Esquece o que ia dizer. Deixa cair. Deixa cair de novo. Não consegue pegar do chão.  Chora e rí da própria condição.


Décimo: Você engorda seis quilos num piscar de olhos. Toma bronca do médico. Seu marido, seu cúmplice até ontem, aquele que te comprou um pão de cará pro café, conta pro doutor que você tomou um pote de sorvete de pistache sozinha. Traíra! Não adianta argumentar que você tem fome, eles não entendem...E mandam você comer fruta. Mas o que eu faço quando eu como uma maçã e ela me dá mais fome ainda?

24 semanas!

Como está passando rápido, filho! Parando para pensar, faltam apenas 16 semanas para sua chegada. As primeiras 24 semanas voaram, parece que foi ontem que soubemos de você. 


A preparação para te receber está a mil por hora. Seu quartinho está quase pronto, apesar da incompetência demora dos titios da obra e do rolo que o loja de decoração fez. Mamãe pediu a colocação de um rodapé de 15cm com dois frisos, pra deixar seu quarto bem bonito, mas os infelizes moços fizeram o favor de instalar o de 10 cm com um friso só!
Mamãe já ligou e eles devem fazer a troca antes de acabar o ano...Papai não entende quanta diferença faz 5 cm no rodapé. Talvez você também não entenda, ou até queira dar um toque de arte nos rodapés branquinhos com canetinhas no futuro... Mas mamãe quer que fique tudo perfeito! Vai aprendendo: mulheres querem porque querem. E ponto final.


Eu já sinto você agora. Você me dá chutinhos muitas vezes ao dia. Por enquanto, só mamãe sentiu. Quando papai põe a mão, você pára. Tadinho dele!
Vimos você no último ultrassom e te achei tão lindo e perfeito! Seu peso estava em 533 gramas e seu tamanho 26cm. Agora você já deve estar bem maior. Doutor disse que você será um bebezão lindo!
Sua priminha Manuela já olha para a barriga e fala o seu nome, Gabriel beija você sem parar. Muito em breve sua prima Larissa vai chegar ao mundo e depois você...Quanta alegria, filho!
...
Talvez você tenha sentido a mamãe um pouco tensa ultimamente. É que aconteceram certas coisas no trabalho da mamãe que mexeram com ela. Você nem sabe o que é trabalho, né? Sorte a sua! Não se preocupe e não se incomode, viu? É que às vezes a vida muda  de repente e a gente precisa se readaptar...A mamãe estava desacelerando no trabalho e agora está sendo exigida um pouquinho mais. Estou tentando dar conta, mas saiba que você é minha prioridade número 1. E nisto, ninguém vai interferir.


Te amo tanto meu amor, você não imagina o quanto...




A inspiração para o seu quartinho

Você, o bebê mais fotogênico do mundo!
A mamãe, toda orgulhosa da sua barriga

domingo, 4 de dezembro de 2011

7 anos




Nós somos a nossa própria felicidade. A festa somos nós: nossa vida não vai mudar muito, independentemente de onde formos. Lugares diferentes, pessoas diferentes, sempre nós.


Trecho do livro Mil Dias em Veneza.